Pular para o conteúdo

Quem foi Ismael (assassino de Gedalias) na Bíblia?

Ismael, filho de Netanias, é uma figura mencionada na Bíblia, especificamente nos capítulos 40 e 41 do livro de Jeremias. Ele é conhecido por seu papel na trama que levou ao assassinato de Gedalias, o governador de Judá nomeado pelos babilônios após a destruição de Jerusalém. A seguir, exploramos a história e o contexto envolvendo Ismael.

Contexto Histórico

Após a queda de Jerusalém em 586 a.C., Nabucodonosor, rei da Babilônia, nomeou Gedalias, filho de Aicam, como governador sobre os poucos judeus remanescentes em Judá. Gedalias estabeleceu sua administração em Mispá e começou a reunir os judeus dispersos, oferecendo-lhes segurança e uma chance de recomeçar sob a ocupação babilônica.

Identidade de Ismael

Ismael era descendente da linhagem real de Judá, sendo filho de Netanias e neto de Elishama. Sua conexão com a casa real de Davi conferia-lhe uma posição de destaque e influência entre os judeus remanescentes. No entanto, Ismael também nutria ressentimentos e ambições pessoais que o levaram a tramar contra Gedalias.

A Conspiração

Instigado por Baalis, rei dos amonitas, Ismael conspirou para assassinar Gedalias. Acredita-se que suas motivações incluíssem tanto um desejo de libertar Judá do domínio estrangeiro quanto ambições pessoais de poder. Ismael, acompanhado por dez homens, foi a Mispá sob o pretexto de visitar Gedalias. Durante uma refeição, Ismael e seus homens se levantaram e mataram Gedalias, juntamente com outros judeus e babilônios presentes (Jeremias 41:2-3).

Consequências do Assassinato

O assassinato de Gedalias gerou um grande temor entre os judeus remanescentes em Judá. Muitos temiam a retaliação babilônica e decidiram fugir para o Egito, desobedecendo às orientações do profeta Jeremias que lhes aconselhou a permanecer na terra e confiar na proteção de Deus.

Ismael, após o assassinato, capturou os habitantes de Mispá e os levou como prisioneiros. Entretanto, Joanã, filho de Careá, e outros líderes militares perseguiram Ismael e conseguiram resgatar os prisioneiros perto de Gibeão. Ismael escapou com oito de seus homens para a terra de Amom (Jeremias 41:15).

Reflexão

A história de Ismael é um exemplo das complexidades políticas e pessoais que marcaram o período pós-exílio babilônico. Seu ato de traição teve consequências devastadoras, levando à dispersão e ao medo entre os judeus remanescentes. A narrativa de Ismael nos desafia a refletir sobre os efeitos das ações movidas por ambições pessoais e a importância da lealdade e da confiança em tempos de adversidade.

Ismael é lembrado na Bíblia não apenas como o assassino de Gedalias, mas como uma figura trágica cuja história serve de alerta sobre os perigos da deslealdade e da violência.